(11) 4266-0513 (11) 94797-6909

Internação de Dependente Químico Contra Vontade

A dependência química é algo que pode ser extremamente impactante, não somente para o usuário, mas também para todos os familiares e amigos, já que geralmente existe um descontrole, por parte do usuário, em relação as suas emoções e ações. 

A internação de um dependente químico contra a sua vontade pode ser chamada de involuntária ou compulsória. 

A internação involuntária é quando ocorre sem o consentimento do paciente e a pedido de terceiros, normalmente são os familiares que solicitam, porém o pedido também pode ser feito por outras pessoas. Já a internação compulsória não necessita de autorização dos membros da família. Nesse caso, quem determina a internação é um juiz, depois do pedido formal feito pelo médico responsável, atestando que o paciente não possui controle sobre a sua própria condição física e psicológica. 

Em muitos casos, a internação contra a vontade do paciente é a única solução para poder evitar um estrago ainda maior, como a morte por exemplo. O crack é uma das drogas que mais levam um usuário à internação involuntária ou compulsória, já que essa substância causa uma dependência rápida e duradoura, pois vai dos pulmões ao cérebro em menos de 10 segundos. 

O problema com o consumo de drogas é algo muito grande e prejudicial para todo o mundo. A internação em si não é única solução para acabar com esse problema, ainda mais a internação involuntária, porém em muitos casos é a única saída. O maior problema é o início do consumo, pois nesse primeiro contato já existe uma grande possibilidade de ocorrer dependência, dependendo do tipo de droga que está sendo consumida. 

Para que a internação ocorra com sucesso são necessárias muitas ações da parte de todos os envolvidos na situação, principalmente se a internação foi feita contra a vontade do usuário. É necessário que seja feita uma pesquisa entre as clínicas disponíveis, é fundamental que os familiares conheçam o local e se familiarizem com toda a equipe médica do local. Confira o programa e o tipo de tratamento que será utilizado, os medicamentos ministrados e sempre verifique com o psicólogo responsável qual abordagem será feita. Normalmente durante o início do tratamento não são recomendadas visitas, já que nesse primeiro momento o paciente ainda não tem controle emocional está fragilizado pela abstinência repentina. 

Apesar de muitos especialistas não recomendarem a internação involuntária ou a compulsória, alguns casos não possuem mais chances de outras formas de recuperação, sendo assim a única alternativa para salvar a vida daquele dependente.

Contato Rápido

Entramos em contato com você

 
Site produzido por: SITESP.NET